Edição
Edição
Sulminas146

Destaque no Sulminas146

Agronegócio mineiro tem alta de 7,28% em 2014

Café é o principal item de exportação de Minas gerais (foto: divulgação Aprocam)

As exportações do agronegócio de Minas Gerais encerraram os oito primeiros meses de 2014 com expansão de 7,28% em faturamento, movimentando US$ 5,2 bilhões. Com o resultado, a participação do setor na composição da receita gerada com as exportações totais de Minas Gerais saíram dos 22,11%, índice registrado entre janeiro e agosto de 2013, para 26,16% em igual intervalo de 2014.

A recuperação dos preços do café, principal produto da pauta exportadora do agronegócio, foi o impulso para a elevação. A expectativa é encerrar o ano com as exportações superando os US$ 7,3 bilhões de 2013.

De acordo com dados da Seapa (Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), a participação do agronegócio no volume dos embarques totais do Estado ficou em 4,01%, frente aos 4,1% registrados em igual intervalo de 2013.

Ao longo dos primeiros oito meses do ano, foram exportadas 4,8 milhões de toneladas de produtos oriundos da atividade agropecuária.

O volume ficou praticamente estável quando comparado com as 4,7 milhões de toneladas destinadas ao mercado internacional em igual intervalo de 2013, com pequena variação positiva de 0,53%.

No mesmo período as importações somaram US$ 345,7 milhões, um aumento de 9,35% frente ao valor registrado em igual período de 2013, quando as negociações somaram US$ 316,1 milhões.

Apesar do crescimento verificado nas importações, o agronegócio de Minas continua a registrar superávit. Os dados da Seapa mostram que o saldo da balança do agronegócio ficou positivo em US$ 4,8 bilhões, valor que está 7,1% maior que o registrado em igual período de 2013, que era de US$ 4,5 bilhões.

Segundo o superintendente de Política e Economia Agrícola da Seapa, João Ricardo Albanez, as expectativas são positivas em relação aos embarques do agronegócio.

“A tendência é que o faturamento com as exportações continue em alta, o que será sustentado pela recuperação dos preços do café e pelo aumento dos embarques de carnes para a Rússia, que no próximo mês deve mostrar resultados”.

No acumulado do ano, as exportações foram impulsionadas pelo bom desempenho do café. Ao todo foram movimentados com os embarques do grão cerca de US$ 2,47 bilhões, incremento de 22,85%.

O volume destinado ao mercado internacional também ficou maior, somando 823 mil toneladas, variação positiva de 20,83%.

“Sabemos que a safra 2015 de café ainda sofrerá os efeitos negativos da seca, com isso, a expectativa é de manutenção dos preços atuais. A sustentação se deve a uma expectativa de oferta menor, o que provoca impacto no mercado internacional, uma vez que o Brasil é o principal exportador do grão”.

Do Estadão Conteúdo

Seja o primeiro a comentar