Edição
Edição
Sulminas146

Codema esclarece corte de árvore centenária em Passa Quatro, no Sul de Minas

Paineira teve que ser cortada por gerar risco. Ela estava oca, inclinada e com a base ruída.

Do Sulminas146
Com Informações da Rádio Mineira do Sul

Árvore foi cortada em Passa Quatro (foto: Ivan Rodrigues)

Paineira foi cortada em Passa Quatro (foto: Ivan Rodrigues)

O corte de uma árvore centenária em Passa Quatro, no Sul de Minas, na semana passada, gerou tristeza e revolta para alguns moradores da cidade, por considerarem o ato desnecessário. Porém, o Conselho Municipal de Conservação e Defesa do Meio Ambiente (Codema) e a Secretaria do Meio Ambiente da cidade solicitaram uma avaliação ao Gestor Analista André Pelegrin Mota Gay, que constatou a árvore em situação de risco, podendo inclusive cair, caso não fosse cortada.

A paineira localizada no Bairro São Geraldo estava inclinada, oca e com a base ruída. O laudo (veja abaixo) sobre as condições da árvore está à disposição dos moradores para consulta na Secretaria de Turismo e Meio Ambiente, que fica no piso superior da Casa da Cultura, e também na Rádio Mineira do Sul.

Sem informações técnicas, moradores condenaram o corte da árvore no Facebook, sendo que alguns relacionaram o ato com o novo hotel que está sendo construído quase que em frente à arvore.

laudo-arvore-passa-quatroEntenda o caso

O morador da cidade e engenheiro civil da prefeitura, Gustavo Greca, postou no Facebook demonstrando preocupação com a situação da árvore, bem como a segurança dos pedestres e de quem transita no local.

“Cuidado ao passar próximo a entrada do hotel que está construindo no bairro São Geraldo a árvore em frente está caindo”, justificou, ao postar algumas fotos do local.

Muitos internautas comentaram a situação da árvore de forma instantânea.

“Como ela ainda está florida a raiz está recebendo água, não era o caso de chamar um especialista? Quem sabe uma amarração como vemos em árvores centenárias no sul, vi uma enorme acho que no Rio Grande do Sul, numa praça, toda amarrada! Funciona, penso!”, comentou Belkiss Nogueira.

“Por favor, façam um esforço para salvá-la. É uma árvore muito bonita, cheia de memórias para muita gente”, salientou Francisca Mancilha .

Segundo Greca, o tronco da árvore está oco e ela está inclinando, o que pode levar perigo ao local. Para diminuir o risco, o local está cercado.

“Uma poda radical bem conduzida, eliminando toda a secção à direita de quem olha a foto, já resolve muito. Quem sabe até a salve”, sugeriu Hiram Greca .

Árvore está com tronco oco e inclinando (foto: Gustavo Greca)

Árvore estava inclina, com tronco oco e base ruim (foto: Gustavo Greca)

Errata: Diferentemente no que foi divulgado inicialmente pelo Sulminas146 nesta matéria, o bairro onde a árvore foi cortada é São Geraldo e não São Francisco.

Acompanhe Sulminas146 no Twitter e no Facebook.

4 comentários

  1. Giovani Matheus Leite Moreno

    Árvore da minha infância, dos meus irmãos e também da infância da minha mãe... mais tudo neste mundo tem seu "fim". Fica as boas lembranças de um tempo quase lúdico. Ficava em frente a casa da da minha irmã!

  2. Filho de Passa Quatro

    Cadê o nome do autor da matéria? Não acho...

  3. Filha de Passa Quatro

    Então quer dizer se tem um velhinho prestes a morrer, se desliga as maquinas que estão ajundando e... "bom ele já ta morrendo mesmo, vamos ajuda-lo) Não ta errado. Poderiam ter ajudado de alguma forma, alguma escora quem sabe, um monte de terra. Ter feito diferente não ter arrancado uma arvore CENTENÁRIA. O MUNDO TA PERDIDO COM PESSOAS QUE SE DIZ DEFENDER A NATUREZA!!! Então quer dizer que muitas arvores em Passa Quatro será morta pelos que se diz defensores. Pode escrever....

  4. Eduardo Giachini

    Com segurança não se brinca. Por mais bonita, histórica e saudosa que fosse a árvore, se ela viesse a tombar sobre a cabeça de uma criança não apareceria ninguém para se responsabilizar pela provável fatalidade. Atuação correta e preventiva do CODEMA. Que bom seria se os passaquatrenses e o CODEMA tivessem a mesma preocupação e consciência com relação à poluída e mal tratada água da cidade.