Edição
Edição
Sulminas146

Destaque no Sulminas146

Cidades se unem para assumir iluminação pública no Sul de Minas

Doze municípios já formaram um consórcio para garantir manutenção. Juntas, cidades somam mais de 19 mil pontos de iluminação na região.

Do G1

Doze cidades do Sul de Minas se uniram e formaram um consórcio para assumir a manutenção da iluminação pública, conforme determinou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A alternativa serve para amenizar o impacto do gasto no orçamento das prefeituras. Com a mudança, desde o início do ano, metade dos municípios que estão no projeto, entre eles Andradas (MG) e Caldas (MG), já prestam o novo serviço aos moradores.

A determinação da Aneel prevê que a iluminação pública seja de responsabilidade dos municípios e todas as prefeituras do país tiveram até o dia 31 de dezembro de 2014 para se adequar.

Na região, a alternativa encontrada por alguns municípios foi criar um consórcio e uma única empresa atende 12 municípios, como Albertina (MG), Andradas, Bandeira do Sul (MG), Borda da Mata (MG), Caldas, Campestre (MG), Divisa Nova (MG), Ibitiúra de Minas (MG), Ipuiúna (MG), Jacutinga (MG), Ouro Fino (MG) e Santa Rita de Caldas (MG).

Juntas, as cidades somam mais de 19 mil pontos de iluminação. A empresa contratada para fazer manutenção da iluminação pública está trabalhando para atender todos os serviços necessários. Na sexta-feira (30), foram substituídas as lâmpadas queimadas em Caldas. “Era um trabalho esperado, né? Eles têm que fazer o que tem que ser feito”, comentou o aposentado Milton Gomes Pasquareli.

Cidades se unem para assumir iluminação pública no Sul de MG (Foto: Reprodução EPTV)

Cidades se unem para assumir iluminação pública no Sul de MG (Foto: Reprodução EPTV)

A produtora de queijos Alessandra Aparecida Anacleto Pereira, que também vive na cidade, ficou feliz com a manutenção. “É bom ter mais lâmpadas, principalmente para quem vai às aulas ou trabalha à noite”, disse.

Duas equipes farão o trabalho de manutenção nos 12 municípios. Do início do ano até o momento, seis cidades usaram os serviços do consórcio e vários reparos já foram feitos.

Os valores pagos para o serviço vão variar de uma cidade para outra. Em Andradas, por exemplo, serão gastos cerca de R$ 25 mil por mês. “A licitação aconteceu em dezembro de 2014 e desde o início de janeiro foi dada a ordem de serviço e cada município fez seu contrato individualizado. Cada cidade pagará de acordo com os pontos de luz que tem instalados”, explicou o prefeito Rodrigo Lopes.

Ainda de acordo com o prefeito de Andradas, que também é o presidente do consórcio, vai ser criada uma central para atender as ligações dos moradores. Por enquanto, os serviços devem ser feitos às prefeituras.

Entretanto, 10 cidades da região conseguiram liminares na Justiça para não realizar a manutenção da iluminação pública, alegando falta de recursos.

Leia mais:

Manutenção de iluminação pública está parada em cidades do Sul de Minas

Cidades conseguem liminar para não assumir iluminação pública em MG

Seja o primeiro a comentar