Edição
Edição
Sulminas146

Alagoa

Conheça as dez menores cidades para se viver no Sul de Minas

Entre 1.700 e 3.000 habitantes, há dez menores cidades para se viver no Sul de Minas. A menor cidade é Senador José Bento, que tem 1.769 moradores.

Foto Reprodução.
Conheca-dez-menores-cidades-para-se-viver-no-sul-de-minas
Conheça as dez menores cidades para se viver no Sul de Minas

Do Sulminas146
Por Petterson Rodrigues

O estado de Minas Gerais tem 852 municípios e dezenas de cidades (são 60) têm menos de três mil habitantes. No Sul de Minas, 14 estão nesta situação e são as menores cidades para se viver na região, segundo dados do IBGE de 2014.

A menor cidade do estado, em população, é Serra da Saudade, com 822 habitantes. Já no Sul de Minas, a menor cidade é Senador José Bento, que tem 1.769 moradores, seguida de Consolação, com 1.801, e Seritinga, que tem 1.860 habitantes. Depois, a menores cidades já têm mais de 2.000 moradores (veja relação completa no ranking e um resumo das dez cidades abaixo.).

Estes municípios, cada vez mais, atraem turistas, que veem na particularidade do tamanho e nas características dos moradores, que vivem de forma simples e mais natural, distante de grandes centros e a rotina agitada, como o trânsito, a correria do trabalho, além de tanta tecnologia, como algo a ser apreciado e uma maneira de sair da rotina estressante dos grandes centros.

Senador José Bento, Consolação, Seritinga, Serranos, Passa-Vinte, São Sebastião do Rio Verde, Fama, Wenceslau Braz, Olímpio Noronha e Alagoa não estão em posição de destaque no Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) da edição de 2014. Das dez menores cidades do Sul de Minas, a melhor colocada é São Sebastião do Rio Verde, que aparece em 85ª lugar no estado, com nota de 0,7593, e 747ª lugar no Brasil. A média dos índice dos municípios é de 0,6501. Quatro dos dez municípios têm índice menor que a média, sendo que Serranos tem a menor nota: 0,5670 (veja mais no ranking).

LEIA TAMBÉM:

Cidades do Sul de Minas estão entre as melhores para se viver em Minas

O turismo é um caminho que os pequenos municípios tentam trabalhar para melhorar as condições de vida da população, atrair empregos e dinheiro para que, consequentemente, as cidades também melhoram.

Veja o ranking:

Cidade População Ranking IFDM Geral IFDM Emprego & Renda Educação Saúde
Nacional Estadual
Senador José Bento 1.769 2543º 435º 0,6483 0,3940 0,8210 0,7299
Consolação 1.801 2414º 405º 0,6552 0,3748 0,8863 0,7046
Seritinga 1.860 2287º 375º 0,6617 0,4737 0,7816 0,7298
Serranos 2.033 3862º 687º 0,5670 0,3710 0,7089 0,6211
Passa-Vinte 2.117 2535º 434º 0,6486 0,3704 0,7532 0,8222
São Sebastião do Rio Verde 2.217 747º 85º 0,7593 0,6072 0,8043 0,8663
Fama 2.421 2383º 397º 0,6567 0,4678 0,7402 0,7620
Wenceslau Braz 2.618 3042º 531º 0,6205 0,2924 0,7879 0,7812
Olímpio Noronha 2.700 1660º 249º 0,6974 0,4864 0,8092 0,7966
Alagoa 2.764 3133º 552º 0,6153 0,2791 0,7575 0,8092

Veja um resumo das dez cidades:

1ª) Senador José Bento

(foto: divulgação)
Senador José Bento é a menor cidade do Sul de Minas
Senador José Bento é a menor cidade do Sul de Minas

Com 1.769 habitantes, Senador José Bento começa sua história em 1922, quando foi criada a Colônia Agrícola Padre José Bento. Seu objetivo era abrigar colonos de diferentes nacionalidades, que junto com os lavradores locais deram origem a um povoado que foi elevado a município em 1962, com o nome de Senador José Bento em homenagem ao padre que formou o povoado. Cidade simples, mas acolhedora e dentre seus atrativos estão a Cachoeira da Tronqueiras, o Pico da Bela Vista e a Casa do Artesão. As festas de São Sebastião e de São Benedito são destaques no calendário de eventos do destino e atraem grandes quantidades de devotos e turistas.

2ª ) Consolação

(foto: divulgação)
Consolação tem 32 habitantes a mais que Senador José Bento
Consolação tem 32 habitantes a mais que Senador José Bento

Com 32 moradores a mais que Senador José Bento, Consolação tem no setor primário o ritmo de vida das pessoas, que vivem em um ambiente tranquilo e hospitaleiro. Na cidade o turista tem a oportunidade de conhecer o modo de vida tipicamente mineiro, experimentar boa comida e conhecer seus atrativos naturais e culturais. Destaque para a Cachoeira do Urubu, a Gruta do Zé Teixeira, a Pedra da Independência, a Serra do Caçador e a Serra do Bairro Cascavel. A cidade oferece, como atrações, a Festa da Padroeira, com uma semana de quermesse, a encenação da Semana Santa, a Festa Junina e o Aniversário da cidade, com desfile de cavaleiros, gincanas e competições esportivas.

3ª) Seritinga

(foto: divulgação)
Seritinga é a terceira menor cidade para se viver no Sul de Minas
Seritinga é a terceira menor cidade para se viver no Sul de Minas

A cidade de Seritinga se formou no início do século XX com instalação da antiga ferrovia que ligava as cidades de Aiuruoca à Liberdade, ferrovia esta que foi desativada em 1977, porém, ainda resta na cidade a antiga estação ferroviária, conservada com muito orgulho pelos seritinguenses. A cidade possui alguns atrativos turísticos, principalmente para quem gosta de apreciar a natureza, como por exemplo a cachoeira do Galvão, as prainhas do rio Aiuruoca e do Rio dos Franceses, a tradicional festa de aniversário da cidade que acontece na passagem do ano, e a linda praça Sete de Setembro.

4ª) Serranos

foto: divulgação
Serranos tem o turismo religioso como atração da cidade
Serranos tem o turismo religioso como atração da cidade

O aspecto geral desta pequena cidade do Sul do estado é montanhoso, tendo inclusive sua sede municipal está a 1.009 metros acima do nível do mar e a igreja matriz está a 950 metros de altitude. O turismo religioso é uma atração da cidade. A paróquia de Serranos fica lotada a cada ano, quando chega setembro e com ele o dia do jubileu. Trata-se de uma imensa massa de fiéis, que a cada ano aumenta, que vão à paróquia para se beneficiar das Indulgências. À noite, no Desfile processional, a Praça da Matriz é aclamada em hinos de aclamações à Maria. Destaque também para a Cachoeira dos Dantas, do Juarez e do Ademazinho, pela beleza natural típica da região.

5ª) Passa Vinte

(foto: divulgação)
Passa-Vinte se destaca pelas várias cachoeiras, como a de Carlos Euler e as Corredeiras
Passa-Vinte se destaca pelas várias cachoeiras, como a de Carlos Euler e as Corredeiras

Passa Vinte é uma típica cidade mineira de interior. Lugar calmo, de clima ameno, está localizada no começo da Serra da Mantiqueira, a 160 km de Juiz de Fora. Sua altitude de 737 metros confere ao município um clima tropical de altitude típico de planaltos e serras. É ótimo para quem admira as montanhas e gosta do contato com o ar puro. A economia é baseada na agropecuária. O plantio do milho é predominante na produção agrícola sendo que a pecuária constitui-se da criação de gado leiteiro. Destaque também para várias cachoeiras que há no município, como a de Carlos Euler e as Corredeiras.

6ª) São Sebastião do Rio Verde

(foto: divulgação)
São Sebastião do Rio Verde é a melhor das 10 cidades para se viver, segundo os dados do IFDM
São Sebastião do Rio Verde é a melhor das 10 cidades para se viver, segundo os dados do IFDM

Melhor das 10 cidades para se viver, segundo os dados do IFDM, São Sebastião do Rio Verde está em uma localização privilegiada, próximo à divisa com São Paulo e Rio de Janeiro. No inverno, noites frias, lindas manhãs e dias de céu azul proporcionam momentos ao sabor de pratos mineiros típicos, doces, queijos e intensa atividade artesanal, como bordado, crochê, barbante, palha e confecção de bonecas de pano. Nas ruas, sensações de tranquilidade, de natureza exuberante, de paisagens montanhosas.

O município apresenta como atrativo natural o Rio Verde, situado na área urbana, propícia à prática de atividades como canoagem e pescaria, possuindo, também, pequenas praias que possibilitam a natação. No Centro da cidade, Igreja São Sebastião, Fórum Antigo, casas em estilo colonial, fazendas da época dos escravos e fabricantes de carros de boi.

7ª) Fama

(foto: divulgação)
Fama retém uma grande parcela do lago de Furnas
Fama retém uma grande parcela do lago de Furnas

Em 1948, Fama era elevada à categoria de Município, independente do de Paraguaçu. Em 1962, foi construída a gigantesca Usina Hidroelétrica de Furnas, deixando submersa grande parte da cidade de Fama, ficando assim o município dividido pelas águas, ficando de um lado Zona Urbana e de outro a Zona Rural.
Todavia, o caráter decidido e o espírito de fé dos famenses fizeram com que as dificuldades fossem pouco a pouco sendo superadas. Tem forte ligação ao turismo, produção rural e a economia agrícola. Por sua vez reúne características bastante significativas no que se refere à prevenção de recursos naturais, pois retém uma grande parcela do lago de Furnas, abrigando uma considerável bio diversidade. Mas seu maior patrimônio natural consiste no relevo de modo geral suave, e de grande manancial hídrico.

8ª) Wenceslau Braz

(foto: divulgação)
Cidade recebe nome em homenagem ao ex-presidente do Brasil, Wenceslau Braz Pereira Gomes
Cidade recebe nome em homenagem ao ex-presidente do Brasil, Wenceslau Braz Pereira Gomes

Está a 1.005 metros acima do nível do mar e tem seu limite com Itajubá, Delfim Moreira e Campos do Jordão, já no estado de São Paulo. A Vila de Bicas do Meio, como era chamada quando ainda era distrito de Itajubá,  o nome vem da origem de três cachoeiras na região. De clima subtropical, destaques para as Serras do Quilombo e Paiol, além do Alto da Onça e Alto do Alambique. Destaque também para sua densa vegetação, composta por araucárias, jacarandás e madeiras de lei. Em 1964, já como município, passa a se chamar Wenceslau Braz em homenagem ao ex-presidente do Brasil, Wenceslau Braz Pereira Gomes.

9ª) Olímpio Noronha

(foto: divulgação)
Origem do atual município deve-se à construção da estação ferroviária Santa Catarina numa das propriedades de Olímpio Noronha
Origem do atual município deve-se à construção da estação ferroviária Santa Catarina numa das propriedades de Olímpio Noronha

São Sebastião é o protetor do gado. Por isso, sua festa é precedida de leilões de novilhos e leitões para as obras sociais da paróquia. A origem do atual município deve-se à construção da estação ferroviária Santa Catarina numa das propriedades de Olímpio Noronha, zona rural de Cristina. Como a estação era um centro de referência para o lugar, à sua volta desenvolveu-se o povoado que, devido aos atos de bravura de Olímpio Noronha na Guerra do Paraguai, passou a ter o seu nome. Em 1948, o lugarejo foi elevado a distrito de Cristina e, em 1962, cria-se o município. Destaque para Cachoeira da Usina e a Estação Ferroviária da cidade, dois pontos turísticos para quem visita essa charmosa cidade.

10ª) Alagoa

(foto: divulgação)
Alagoa pertence a Associação das Terras Altas da Mantiqueira, primeiro circuito turístico de Minas Gerais (foto: divulgação)
Alagoa pertence a Associação das Terras Altas da Mantiqueira, primeiro circuito turístico de Minas Gerais

Alagoa pertence a Associação das Terras Altas da Mantiqueira, primeiro circuito turístico de Minas Gerais, é a cidade mais alta da região e tem uma cervo ecológico praticamente intocável. Destaque os pontos turístico Fazenda do Charco, as cachoeiras Zé Pena, Ouro Fala, Falcão e Serra dos Borges, bem como a nascente e as corredeiras cristalinas do Rio Aiuruoca. Reconhecida pela Unesco como ‘Reserva da Biosfera’, Alagoa é também conhecida pelo queijo parmesão produzido pela população da Zona Rural, sendo a região que abrange o município considerada ‘Terra do Queijo Parmesão’.

Leia mais notícias da região no Sulminas146

Acompanhe Sulminas146 no Facebook e no Twitter

8 comentários

  1. celsinho

    gostaria de saber das datas das festas nestas cidades maravilhosas.

    • Moderador

      Olá Celsinho. Procure o calendário oficial das cidades nas páginas oficiais das prefeituras. Abraço

    • VALTER MAIA

      TUDO SOBRE PASSA VINTE - MG EM www,passavinte.mg.gov.br ou no facebook PASSA VINTE - MG

  2. Chico Moreira

    E Borda da Mata ???

    • Moderador

      Olá Chico Moreira. Obrigado pelo seu comentário. Borda da Mata tem mais de 17 mil habitantes e a proposta da matéria é sobre as dez menores cidades do Sul de Minas para se viver. Nenhuma das dez tem mais do que três mil habitantes. Abraço

  3. Habner

    Silvianópolis MG, é uma cidade linda também, fica perto de pouso alegre

  4. maria da conceiçao da silva

    Fama é uma maravilha alem de estar entre as dez melhores para se viver ainda tem um baixo indice de criminalidade maro aqui a treze anos e nao troco por nada !

  5. Marcus Arantes

    Aiuruoca também é uma cidadezinha pequena e extremamente aconchegante. Pra melhorar ainda mais, tem picos e cachoeiras maravilhosas. Visitem o site e vejas as maravilhas que a cidade oferece. Vale a pena se hospedar pra passar uns dias e contratar passeios com guias locais na agência local MMA Ecoturismo (35)3344-1601