Edição
Edição
Sulminas146

Destaque no Sulminas146

Conheça a história do Sul de Minas

Por Petterson Rodrigues
Do Sul de Minas

A região do Sul de Minas é formada por 146 municípios agrupado em 10 microrregiões. O Sul de Minas tem forte influência da Serra da Mantiqueira, onde muitos municípios estão próximos. Com clima ameno e grandes altitudes, a região tem uma economia altamente agrícola, com destaque para as plantações de café, apesar de estar se tornando um importante polo nacional de desenvolvimento tecnológico e industrial.

Campanha é a cidade mais antiga do Sul das Minas Gerais – cidade histórica reconhecida oficialmente em 02/10/1737 – povoação iniciada no ciclo do ouro. Elevada à freguesia em 06/02/1752, à vila em 20/10/1798 e à cidade em 09/03/1840.

Fundação Florestal vai avaliar novo parque na Mantiqueira

Serra da Mantiqueira é um dos pontos mais importantes no Sul de Minas (foto: divulgação)

O povoamento teve início no século XVIII por bandeirantes paulistas como Fernão Dias e cresceu no início do século XIX com a chegada de ondas de imigrantes italianos e comerciantes sírio-libaneses.

Algumas cidades da região recentemente estão sofrendo intensa industrialização, como Pouso Alegre, Extrema, Poços de Caldas (mais populosa da região com 152 mil habitantes), Itajubá, Paraisópolis e Ouro Fino.

Outras conservam pequenas populações e o aconchego para seus moradores e visitantes, como Passa Quatro, Marmelópolis, Delfim Moreira e Virgínia.

A região do Sul de Minas é a que mais recebe turistas no estado de Minas Gerais, desde as suas terras altas na Serra da Mantiqueira e Circuito das Águas até a região do Lago de Furnas.

A História do Sul de Minas Gerais no Século XVIII

No final do século XVII os bandeirantes paulistas foram os primeiros a descobrir as areias auríferas. “O boato de que no Brasil fora descoberto ouro espalhou-se depressa em Portugal , e depois , Ilha da Madeira e Açores – e a região conheceu , no primeiro quartel do século XVIII , uma ‘corrida prodigiosa’ “.(Roger Bastide).

“O caminho das Minas era batido dia e noite pelas comitivas a pé ou no dorso de muares . Os que não se mudavam para as terras do planalto da Mantiqueira associavam-se aos que o faziam , fornecendo capital em escravos, ferramentas ou gêneros , o que tudo era caríssimo por sua escassez e grande procura”. (Augusto de Lima Jr.)

Grande contingente de bandeirantes da Capitania de São Vicente , mineradores procedentes da Bahia , Rio de Janeiro , Pernambuco e outras capitanias , além de portugueses que aqui estavam ou que vieram principalmente das ilhas (Açores e Madeira) , foram para a região ao longo do caminho que ia do vale do Paraíba até Vila Rica (atual Ouro Preto) , isto é , as regiões do Vale do Inghay (Aiuruoca) , Baependy , do Rio das Mortes , em São João Del Rey , região do Carmo , em Mariana , Sabará e Pitanguy.

Tanta gente querendo minerar provocou incidentes entre os bandeirantes e emboabas – os forasteiros , tornando Minas uma região violenta.

“Para pacificar e melhor administrar a região , resolveu-se criar , no mesmo ano de 1709, a nova Capitania de São Paulo e Minas do Ouro . Era assim ,aquela zona, desligada de qualquer dependência do Rio de Janeiro , cujos governadores , desde Artur de Sá e Meneses , haviam sido os primeiros a tomar providências quanto à distribuição das minas , tanto aos seus descobridores como aos que quisessem explorá-las”. (Hélio Viana – História do Brasil).

A Vila de São Paulo era a capital , devido a maior facilidade dos caminhos , mas a região mais importante e populosa era a das Minas Gerais.

Em 1710 , D. Antonio de Albuquerque Coelho de Carvalho ,primeiro governador da nova Capitania , criou o distrito das Minas. Em 1711 foram criadas as três primeiras vilas de Minas: Ribeirão do Carmo(Mariana) a 8 de abril , Vila Rica a 8 de julho e Vila Real (Sabará )a 16 de julho .

Em 1714 é assinado, na Vila do Ribeirão do Carmo , o termo de ajuste sobre a repartição das três primeiras comarcas de Minas Gerais : Rio das Mortes (S.J. Del Rey) ,Vila Rica(Ouro Preto) e Rio das Velhas (Sabará). Em 2 de dezembro de 1720 , D.João V , representado pelo governador, o Conde de Assumar, desmembra as Capitania de Minas Gerais e de São Paulo.

Em 1745 criaram-se a Diocese de São Paulo e a Diocese de Mariana. “Aos depósitos de ouro , nos cursos de água e em suas margens , denominavam os antigos de faisqueiras , porque o ouro se apresentava em grãos e folhetos tão grandes que faiscavam ao sol ” (Augusto de Lima Jr- A Capitania de Minas Gerais).

Veja o mapa da região da época elaborado por José Joaquim da Rocha

Veja o mapa da região da época elaborado por José Joaquim da Rocha

A partir da década de 1740 ,começa a ser povoada a região do Sul de Minas , a oeste do rio Sapucaí , que até então era totalmente selvagem. José Pires Monteiro, natural de Jacareí, descobre ouro na margem esquerda do rio Sapucay dando inicio ao povoamento do território a oeste deste rio.

A 2 de março de 1746 , o português Francisco Martins Lustoza, vindo da freguesia da Campanha do Rio Verde, é nomeado Guarda Mor Regente do novo descoberto e da região do Sapucaí. Em agosto de 1748 o Rei de Portugal ordena ao Governador mineiro, Gomes Freire de Andrade , que fizesse nova definição das linhas divisórias das capitanias , “como melhor lhe provesse”.

Em 19 de setembro de 1749 , o Ouvidor Geral do Rio das Mortes , Dr. Tomaz Rubim de Barros Barreto do Rego, atravessando o Rio, foi ter ao Arraial de Santana do Sapucay , onde fez a divisão e posse ordenadas por Gomes Freire de Andrade.

Em 1755 , Pedro Franco Quaresma, vindo do Arraial do Ressacatú , descobre ouro na região de São Carlos de Jacuy , cuja posse é tomada pela Câmara de Jundiaí. Fundamenta-se neste fato a questão da posse mineira ou paulista sobre a região. Em 4 de março de 1755 , o padre Inácio Paes de Oliveira é provido, como capelão curado , pelo Bispado de São Paulo.

“Em todo “descoberto” , que prometesse uma faiscagem de longa duração e que ainda se descobrisse ouro nos barrancos, próximo ao córrego, sobrevinha a formação de povoado e a construção do elemento mais importante : a capela.” (Adilson de Carvalho-A Freguesia de Nossa Senhora da Assunção do Cabo Verde e sua História).

Em 05 de setembro de 1764 , o governador da Capitania de Minas Gerais , Luiz Diogo Lobo da Silva, resolve fazer uma viagem de inspeção pelas regiões limítrofes com a Capitania de S.Paulo. Partindo de Vila Rica , dirigiu-se a comitiva a S. João del Rey, tomando o rumo noroeste , pela margem do Rio Grande , passando por Oliveira, Tamanduá (Itapecerica) , Piunhi , e atravessando o Rio Grande , junto à barra do Sapucaí, penetrou na região sul-mineira. Chegando ao arraial de S.Pedro de Alcântara e Almas do Jacuí , o General Luiz Diogo, destituiu as autoridades paulistas e publicou um Bando , em 24 de setembro de 1764, pelo qual regulou a posse mineira naquela localidade.

Em dezembro de 1775 as paróquias mineiras eram restituídas ao Bispado de São Paulo. A região era, então ,governada, no civil, por Minas Gerais e no eclesiástico, pela diocese de S.Paulo. Em 1778 continua a discussão sobre a questão dos limites.

Leia mais sobre o Sul de Minas

Seja o primeiro a comentar