Edição
Edição
Sulminas146

Destaque no Sulminas146

Energia elétrica em Minas Gerais já está mais cara

Bandeira tarifária vermelha entrou em vigor no dia 1º de janeiro, o que aumentou em R$ 0,03 cada quilowatt-hora consumido.

Do Estado de Minas

Os consumidores de Minas Gerais sentirão os efeitos do reajuste da tarifa de energia elétrica a partir deste mês. Desde o dia primeiro de janeiro, quando entrou em vigor a bandeira tarifária vermelha em todos os estados brasileiros, exceto no Amazonas, em Amapá e Roraima, conforme resolução da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o mineiro paga R$ 0,03 a mais para cada kWh (quilowatt-hora) consumido, que será cobrado na conta a ser paga em fevereiro.

De acordo com a Cemig, desde 2013, a Aneel define a bandeira que vai atuar durante o mês, de acordo com o funcionamento das usinas. Se for um mês com poucas chuvas, por exemplo, os reservatórios das hidrelétricas estarão mais baixos, por isso, será necessário usar mais energia gerada por termelétricas.

Em janeiro, a bandeira escolhida foi a vermelha e neste mês, ela permanece. Assim, nas faturas residenciais normais, quem consumia até 250 kWh e pagava R$ 99,11, deve pagar este mês R$ 106,61.

Sistema de bandeiras

As bandeiras funcionam como um semáforo de trânsito, com as cores verde, amarela e vermelha para indicar as condições de geração de energia no país. Quando a conta de luz vier com a bandeira verde, significa que os custos para gerar energia naquele mês foram baixos, portanto, a tarifa de energia não terá nenhum acréscimo. Se vier com a bandeira amarela, é sinal de atenção, pois os custos de geração estão aumentando. Nesse caso, a tarifa de energia terá acréscimo de R$ 1,50 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Já a bandeira vermelha mostra que o custo da geração naquele mês está mais alto, com o maior acionamento de termelétricas, e haverá um adicional de R$ 3 a cada 100 kWh.

Vale ressaltar que na conta de energia elétrica não haverá nenhuma imagem de bandeira sinalizando a cor da tarifa vigente, mas será destacado, no campo “Valores Faturados”, o custo adicional relativo à aplicação da bandeira tarifária vigente no período. O consumidor também poderá consultar, no site da Cemig e da Aneel, a bandeira tarifária vigente no mês.

Seja o primeiro a comentar