Edição
Edição
Sulminas146

Minas

Escola particular em Minas Gerais sobe até 16% em 2015

As mensalidades das escolas particulares de Minas Gerais irão ficar mais caras no ano que vem. A variação dos reajustes será entre 12% e 16%. O índice, de acordo com o Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinep/MG), foi calculado tendo como base os reajustes salariais previstos para o próximo ano, a inadimplência, o aumento da demanda e a elevação dos insumos.

A nova tabela com os valores foi divulgada quatro meses antes de começar o ano letivo de 2015. Ao todo, 4.200 escolas em Minas irão adotar os novos valores, afetando 180 mil alunos da rede privada em todo o Estado.

Pela lei 9.870/ 1999, os reajustes devem ser divulgados até 45 dias antes do início das aulas. “Estamos adiantando a divulgação da tabela para que os pais consigam se programar e até mesmo negociar com as escolas”, disse o presidente do Sinep/MG, Emiro Barbini.

De acordo com o presidente do Sinep/MG, mais de 75% da receita das escolas são comprometidas com folha de pagamento dos funcionários, o que alavanca ainda mais o reajuste das instituições de ensino. “ A previsão é de que no ano que vem o reajuste de salário mínimo seja de 8,8%, o que onera muito as despesas das escolas. Economistas preveem um ano bastante difícil e por isso temos que calcular bem nossos gastos para que a instituição não fique no vermelho”, explicou.

Além disso, as escolas apontam como justificativa investimentos em material didático, infraestrutura e informatização. “A demanda dos pais em disponibilizar novos profissionais e conteúdo multimídia faz com que os custos elevem”, ressaltou Barbini.

Pais em alerta

Para a administradora Sinara Carinna Alves, de 38 anos, os valores anunciado deixam o orçamento em situação de alerta. Com duas filhas de 6 anos em idade escolar, ela prevê um aumento de 65% nos gastos com escola. “Isso sem contar o material didático e os gastos com transporte e alimentação”, completou. Os novos valores passam a valer para instituições de educação infantil, ensino fundamental, médio e superior.

Outro complicador apontado pelo sindicato é o número de pais inadimplentes com as mensalidades. Apenas neste ano, a entidade estima um acréscimo de 20% dos alunos devedores. “É um registro expressivo que acaba comprometendo diretamente o andamento das unidades de ensino”, frisou o presidente.

O Sindicato das Escolas Particulares recomenda que pais em situação de inadimplência negociem com as instituições de ensino antes do aumento nas mensalidades.

Valores já valem a partir de janeiro

Os reajustes passam a valer em janeiro de 2015, quando começa a contar o novo ano letivo. Ainda de acordo com o Sindep, mais de 80% das escolas privadas em Minas devem ajustar os valores em 12%.

Do Hoje em Dia

Seja o primeiro a comentar