Edição
Edição
Sulminas146

Sul de Minas

Febre Amarela chega no Sul de Minas e quarta morte de macaco é confirmada

No Sul de Minas há registros de febre amarela confirmados em humanos: 4 casos confirmados e três mortes. Uma outra morte, de uma turista, foi confirmada pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.

A morte por febre amarela de um macaco em Lavras, no Sul de Minas, foi confirmado pela Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES), nesta sexta-feira (3). A Secretaria confirmou também a morte por febre amarela de um animal em Varginha, também no Sul de Minas, que já havia sido divulgada na última quinta-feira por autoridades da Secretaria de Saúde da cidade.

Com essas duas mortes, sobe para quatro o número de casos da doença confirmados em primatas no Sul de Minas.

Além de Lavras e Varginha, também estão confirmadas mortes de macacos por febre amarela em Poços de Caldas e Três Pontas. Outras vinte cidades ainda aguardam resultados de exames. Em relação ao último relatório, entraram novos casos em investigação em Carmo do Rio Claro, Andradas, Inconfidentes e Itutinga.

Ainda estão sendo investigados casos de mortes de macacos em Alterosa, Botelhos, Nova Resende, Claraval, Delfinópolis, Guapé, São João Batista do Glória, São José da Barra, Caldas, Ipuiúna, Ouro Fino, Santa Rita de Caldas, Boa Esperança, Nepomuceno, Perdões e Três Corações.

No Sul de Minas, apenas Delfinópolis teve registros de febre amarela confirmados em humanos: 4 casos confirmados e três mortes. Uma outra morte, de uma turista, foi confirmada pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.

Tire suas dúvidas sobre a Febre Amarela

Qual é a diferença entre a febre amarela silvestre (FAS) e febre amarela urbana (FAU)?

A diferença entre elas é o vetor: na cidade a doença é transmitida pelo Aedes aegypti, o mesmo mosquito que transmite a dengue. Na mata, os mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes transmitem o vírus. Apesar disso, o vírus transmitido é o mesmo, assim como a doença resultante da infecção. Desde 1942, o Brasil não registra casos de febre amarela urbana.

O que é a febre amarela silvestre (FAS)?

É uma doença infecciosa febril aguda, causada por um arbovírus (vírus transmitido por artrópodes), que pode levar à morte em cerca de uma semana, se não for tratada rapidamente. A doença é comum em macacos, que são os principais hospedeiros do vírus.

Como a doença é transmitida?

A febre amarela silvestre é transmitida através da picada de mosquitos Haemagogus e Sabethes, que vivem em matas e vegetações à beira dos rios. Quando o mosquito pica um macaco doente, torna-se capaz de transmitir o vírus a outros macacos e ao homem.

Como a doença pode ser evitada?

A única forma de evitar FAS é através da vacinação. A vacina está disponível durante todo o ano nas unidades de cuidados de saúde de forma gratuita e deve ser administrada pelo menos 10 dias antes do deslocamento para áreas de risco. A vacina pode ser administrada após seis meses de idade e é válida por dez anos.

Que lugares constituem áreas de risco?

Locais que têm matas e rios onde o vírus e seus hospedeiros e vetores ocorrem naturalmente são identificadas como áreas de risco. No Brasil, no entanto, a vacinação é recomendada para as pessoas a partir de 9 meses de idade (ver “Orientações para vacinação”) que residem ou se deslocam para os municípios que compõem a Área Com Recomendação de Vacina, conforme o mapa abaixo.

Arte: www.portalsaude.gov.br
Febre Amarela: áreas com recomendação de vacinação
Febre Amarela: áreas com recomendação de vacinação

Que época do ano a doença é mais comumente registrada?

Estudos têm demonstrado que a doença ocorre com maior freqüência nos meses de dezembro a maio. Esta é a estação das chuvas, quando há um aumento das populações de mosquitos, favorecendo a circulação do vírus.

Qualquer pessoa está em risco de contrair febre amarela silvestre?

Sim. Qualquer pessoa, independentemente da idade ou sexo, que vive nas áreas endêmicas ou que visitam áreas endêmicas sem ter sido vacinada, pode ter a doença.

Quanto tempo leva para que a doença se tornar aparente?

De três a seis dias após ter sido infectada, a pessoa apresenta os sintomas iniciais.

Quais os sintomas da doença?

Os sintomas iniciais da febre amarela incluem o início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. A maioria das pessoas melhora após estes sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% apresentam um breve período de horas a um dia sem sintomas e, então, desenvolvem uma forma mais grave da doença. Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia (especialmente a partir do trato gastrointestinal) e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Cerca de 20-50% das pessoas que desenvolvem doença grave podem morrer.

O que você deve fazer se apresentar os sintomas?

Depois de identificar alguns desses sintomas, procure um médico na unidade de saúde mais próxima e informe sobre qualquer viagem para áreas de risco nos 15 dias anteriores ao início dos sintomas, e se você observou mortandade de macacos próximo aos lugares que você visitou. Informe, ainda, se você tomou a vacina contra a febre amarela, e a data.

Como a febre amarela silvestre é tratada?

Não há nenhum tratamento específico contra a doença. O médico deve tratar os sintomas, como dores no corpo e cabeça, com analgésicos e antitérmicos. Salicilatos devem ser evitados (AAS e Aspirina), já que seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas. O médico deve estar alerta para quaisquer indicações de um agravamento do quadro clínico.

Importante: Somente um médico é capaz de diagnosticar e tratar corretamente a doença.

A febre amarela silvestre é contagiosa?

A doença não é contagiosa, ou seja, não há transmissão de pessoa a pessoa, entre de animais a pessoas. É transmitida somente pela picada de mosquitos infectados com o vírus da febre amarela.

Onde posso obter mais informações sobre a febre amarela?

Mais informações sobre a doença podem ser obtidas nas Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde de todo o país, e no Ministério da Saúde.

Siga o Sulminas146 no Facebook e no Twitter

Seja o primeiro a comentar