Edição
Edição
Sulminas146

São Lourenço

Inventor mineiro tem mais de 800 ideias "cruas em estoque"

Inventor do Sul de Minas tem quatro patentes no INPI em busca de viabilidade comercial.

Foto: arquivo pessoal Paulo Gannam
Inventor Paulo Gannam com seu primeiro protótipo
Inventor Paulo Gannam com seu primeiro protótipo

O inventor de São Lourenço, no Sul de Minas, Paulo Gannam, possui mais de 800 ideias que ele chama de “cruas e estocadas”. Gannam, que tem 33 anos, é formado em jornalismo e especialista em dependência química pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo. Trabalha como inventor autônomo, cujo trabalho se concentra nos últimos anos.

“Tenho mais de 800 ideias cruas estocadas, não desenvolvidas e sem patente, somente breve descrição apontando um problema e sua solução pela criação de um novo produto. E procuro startups, empreendedor, investidor etc, para me ajudar a peneirar estas ideias, desenvolvê-las, patenteá-las e lançá-las no mercado. Crio e solicito a patente de novos produtos para o mercado.”

Questionado como que surgiu a “veia” para trabalhar com a invenção, Gannam recorda de quando teve contato com a galocha, por intermédio de um tio.

“Certa vez postei um artigo que destacava os benefícios de se trazer a galocha de volta ao mercado, dando-lhe novas feições e design, pelo benefício em evitar que nossos pés e calçados se molhassem durante as chuvas. Creio que ali estava começando a florescer este verve inventivo”.

Atualmente, Gannam, tem quatro patentes depositadas no INPI, que estão prontas para serem comercializadas. “São quatro conceitos descritos de quatro novos produtos, aguardando parecer do INPI, o que não impede de serem já lançados no mercado, mediante contrato específico que se baseia na ideia de expectativa de recebimento da carta-patente”, sinaliza, a procura de investidores.

“De fato, é um ramo que requer muita perseverança e uma boa dose de sorte. Mas meu pai, apesar de perfil mais conservador, creio ter sido o que me incentivou, sobretudo na crença de que alguns desses projetos ainda vão sair do papel, cabendo a mim não criar expectativas, e ir trabalhando, sempre, e contatando empresas, sempre, deixando que os resultados venham ou não sem ficar sofrendo com isso. Tenho posto em mente que o que vale é a jornada e não a chegada, isso me ajuda a continuar.

Foto: arquivo pessoal Paulo Gannam
Sensor lateral é um dos projetos do inventor Paulo Gannam
Sensor lateral é um dos projetos do inventor Paulo Gannam

Um dos quatro projetos do inventor mineiro foi apresentado no 16° Salão do Inventor Brasileiro, em 2012.

Entrevista sobre os quatro projetos:

SM146 – o que é o Sistema de Cooperação no Trânsito?

Paulo Gannam – É um aparelhinho eletrônico de comunicação instantânea que alerta, com frases curtas e objetivas, qualquer problema ou situação identificável em um veículo ou nas estradas. A comunicação é feita pelos usuários de outro veículo que também disponha do aparelho e não depende necessariamente de internet, cujo sinal é ruim em certos locais. Alguns exemplos de mensagens: luz de freio queimada, pneu murcho, luz de ré queimada, emergência, pessoa doente no carro, acidente/animal/deslizamento à frente, incêndios, chuva forte, etc. Também permitirá a comunicação entre órgãos de Governo e motoristas, campanhas de educação no trânsito, enfim, uma integração da comunicação, criando um clima amistoso e de espírito de ajuda pelo condicionamento. O manuseio é bem mais prático e seguro do que ficar usando aplicativos de celulares e evita envio de mensagens ilegais.

SM146 – E o sensor lateral para proteger rodas e pneus junto ao meio-fio, como funciona?

PG – É um sensor que avisa o momento em que você estiver próximo de encostar o pneu ou roda junto à calçada, em qualquer tipo de movimento com ou sem uso de marcha-ré. Esse é uma “mão na roda”. Muito mais simples e barato que projetos complexos e caríssimos como o Park Assist e o Intellisafe. E atende a uma necessidade de modo mais completo, se comparado com retrovisores automáticos de ré.

SM146 – Gannam, fale do protetor de unhas para portadores de onicofagia, pessoas com hábito de roer as unhas.

PG – É uma película que reveste as unhas do usuário de forma elegante e discreta, sem causar desconforto algum, pois cobre apenas as unhas sem incomodar o tato, e pode ser usada por homens e mulheres. Cerca de 19% a 45% da população, oscilando de acordo com a faixa etária, tem este hábito.

SM146 – Já a lixa para unhas “três em uma”, como surgiu a ideia?

PG – Foi uma invenção concebida muito mais por minha cunhada do que por mim, ao observar os tipos de lixa disponíveis no mercado: Trata-se de um produto inédito no mercado, cuja extremidade é arredondada e fina. Suas funções consistem em uma parte para dar brilho e outra para lixar a superfície das unhas. Entre as pontas, no cabo dessa lixa, há uma superfície circular para lixar o contorno da unha com diversos graus de aspereza — espessura em sua circunferência, conforme preferência do usuário. Ela tem um formato anatômico que impede esfoliações na pele logo ao lado da cutícula.

Contatos com Paulo Gannam:

Telefone: (35) 35 8404-4124
Email: [email protected]

Siga o Sulminas146 no Facebook e no Twitter

Seja o primeiro a comentar