Edição
Edição
Sulminas146

Destaque no Sulminas146

Moradores começam a enfrentar falta de água em bairros de Monte Belo

O racionamento de água piorou em Monte Belo (MG). Nesta semana, moradores do bairro Jardim São Mateus ficaram três dias sem abastecimento. A cidade enfrenta um rodízio de fornecimento de água desde o dia 18 de julho e nas últimas semanas a interrupção passou de cinco para oito horas por dia. Segundo a concessionária Copasa, a escassez se intensificou porque o clima mais quente provocou um aumento do consumo e sobrecarregou o sistema de captação, insuficiente para manter o reservatório cheio.

O Córrego das Pedras está com a vazão 70% menor. Há duas semanas, a Copasa começou a perfurar poços artesianos para ajudar no abastecimento. Outra  captação também está sendo feita em uma represa. No entanto, a concessionária disse que a situação ainda vai demorar para ser normalizada, se continuar a falta de chuva.

Para driblar o problema, em um prédio da cidade o número de caixas d’água aumentou de quatro para 10 e mais duas serão instaladas em breve. O uso de galões de água mineral também tem se mostrado uma alternativa.

O dono de um estabelecimento relata que vendia, em média, 10 galões por semana. Agora chega a comercializar 10 por dia. Moradores dizem que, com os galões são usados basicamente para cuidar da higiene da família e para lavar a louça.

“Um monte de roupa sem lavar. Trabalho fora, tenho duas crianças e está muito difícil”, conta a auxiliar de padaria, Jerusa Cardoso, que, em um único dia, chega a usar três galões com 20 litros cada. É com essa água que ela dá banho nos filhos.

Campos Gerais

Campos Gerais (MG) também corre o risco de enfrentar racionamento. O volume de água de um ribeirão que abastece a cidade reduziu de 54 litros por segundo para 25 litros por segundo. A Copasa complementou a captação na tentativa de evitar o desabastecimento das casas, mas informa que a economia feita pelos moradores é essencial nesse momento.

 

Seja o primeiro a comentar