Edição
Edição
Sulminas146

Destaque no Sulminas146

Moradores fazem abaixo-assinado por limpeza de rio em Pouso Alegre

Vazão do Rio Mandu está 25% menor na comparação com 2013. Além da falta de chuva, poluição é apontada como causa da baixa no nível.

Do G1

O Rio Mandu, em Pouso Alegre, no Sul de Minas, atingiu o nível mais baixo dos últimos seis anos, desde que o sistema de medição foi implantado em seu leito. Segundo a concessionária de abastecimento, a Copasa, a vazão reduziu 25% em relação ao mesmo período de 2013. Com o aparecimento dos bancos de areia em vários pontos, o lixo acumulado ficou exposto. Uma petição online foi criada para cobrar do poder público a limpeza do rio.

Olhando para o contorno do Mandu, que atravessa a cidade, o cozinheiro Antônio Augusto da Costa se emociona. Onde antes corria água, aparecem móveis, capacete, porta de casa e até um vaso sanitário. “Antigamente, o rio era bom pra pescar. Agora nem pra pescar dá mais”, lamenta.

Moradores fazem abaixo-assinado por limpeza do Rio Mandu em Pouso Alegre (Foto: Reprodução EPTV)

Moradores fazem abaixo-assinado por limpeza do Rio Mandu em Pouso Alegre (Foto: Reprodução EPTV)

Segundo o secretário do Cômitê da Bacia Hidrográfica do Rio Sapucaí, Arthur Benedicto Ottoni, a situação do rio é crítica e provocada não só pela falta de chuva. “Ele recebe muitos sedimentos, que se depositam na parte plana. E não são só sedimentos. São sedimentos e lixo”, diz.

A Copasa garante que, mesmo com a vazão bastante reduzida, não há risco de desabastecimento de água em Pouso Alegre. Mas a petição lançada por moradores na internet quer que a prefeitura tome providências para garantir a limpeza do rio.

A prefeitura informou, por meio da Secretaria de Governo, que a manutenção do Rio Mandu depende do apoio da população. O Rio Mandu, segundo a Copasa, é reponsável por 70% do abastecimento da cidade.

Acompanhe Sulminas146 no Twitter e no Facebook.

Seja o primeiro a comentar