Edição
Edição
Sulminas146

Sul de Minas

Mudança no uso de extintor gera 350 demissões no Sul de Minas

Multinacional que tem duas unidades no Sul de Minas alega necessidade de demissão em razão da não obrigatoriedade do uso de extintor.

Foto: reprodução EPTV
Multinacional demite 350 funcionários com fim da obrigatoriedade do extintor
Multinacional demite 350 funcionários com fim da obrigatoriedade do extintor

Com o fim da obrigatoriedade do uso do extintor de incêndio nos carros, empresas que trabalham na fabricação dos equipamentos tiveram queda na produção e foram obrigadas a demitir funcionários no Sul de Minas, nas cidades de Extrema e Ouro Fino. Ao todo, 350 funcionários foram demitidos em uma multinacional que tem duas unidades na região.

“A gente reconhece que é uma ação dura para os nossos funcionários e para suas famílias, mas ela foi necessária para manter a sustentabilidade do negócio. Se houver qualquer reversão na legislação, os funcionários desligados terão prioridade na contratação”, disse a gerente de marketing da empresa, Roberta Godói.

A resolução do Conselho Nacional de Trânsito foi adiada duas vezes neste ano. Até que no dia 17 de setembro, o Contran decidiu tornar o uso dos extintores em carros e caminhonetes opcional. Quem se manteve no emprego, diz que os colegas estão preocupados com novas demissões.

“Está um clima pesado, todo mundo sem noção nenhuma do que pode acontecer”, disse o operador multifuncional Écio Francisco da Silva.

O sindicato que representa os funcionários negocia com a empresa para que pelo menos os acertos sejam feitos o quanto antes.

“A gente fez um acordo onde os trabalhadores terão convênio médico por seis meses mais o pagamento da bolsa faculdade para quem já está estudando por um ano e também meio salário por ano de trabalho na empresa”, disse o representante do sindicato, Hugo Zaratine da Silva.

Ainda segundo a representante da multinacional, não existe risco de fechamento da empresa.

Siga o Sulminas146 no Facebook e no Twitter

Seja o primeiro a comentar