Edição
Edição
Sulminas146

Passa Quatro

Passa Quatro realiza cerimônia de outorga da Medalha do Mérito Olegário Maciel

Solenidade contará com o desfile da Guarda de Honra e apresentação da Orquestra Sinfônica da Polícia Militar de Minas Gerais.

A Prefeitura Municipal de Passa Quatro, no Sul de Minas, promove neste sábado (3), a cerimônia de outorga da Medalha do Mérito Olegário Maciel e homenagear instituições e personalidades que tenham desenvolvido importantes trabalhos à sociedade passaquatrense.

A data será inserida no calendário cívico-cultural da cidade e existe expectativa de inseri-la também no calendário cívico mineiro e brasileiro.

A região do Túnel da Mantiqueira foi palco de combates entre mineiros e paulistas na década de 30 (Revoluções de 1930 e 1932).

O evento contará com o desfile da Guarda de Honra e apresentação da Orquestra Sinfônica da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG).

Serviço:

Onde: Calçadão Central
Quando: 03/10/2015 (Sábado)
Horário: 08h – Concentração
08h30min – Celebração Ecumênica
09h30min – Solenidade Cívico-Militar
Endereço: Rua Dr. Arlindo Luz, centro, Passa Quatro/MG

Foto Reprodução.
Comenda de Mérito Olegário Maciel
Comenda de Mérito Olegário Maciel

Quem foi Olegário Maciel

Segundo informações do perfil em uma rede social do Patrimônio Histórico Passa Quatro, Olegário Maciel foi Deputado Federal por diversos mandatos, consultor técnico do Ministério de Viação e Obras Públicas e inspetor dos Serviços de Vias Férreas durante o governo de Venceslau Brás. Em 1930 assumiu a Presidência de Minas Gerais onde neste mesmo ano foi muito importante não só para Minas Gerais com também para Passa Quatro, pois foi quando deflagrou a Revolução de 1930. Se antes do conflito Olegário Maciel era entusiasta da reconstitucionalização do Brasil, após o levante paulista preferiu manter-se fiel ao Governo Federal, deslocando tropas de Minas Gerais para combates na divisa com São Paulo. Iniciada a sublevação em 3 de outubro de 1930, Olegário Maciel comunicou aos prefeitos de Minas a adesão de seu governo à insurreição. Reconhecido como o “general civil” da Revolução, Olegário foi o único presidente do Estado que se manteve no cargo após a mudança do regime.

O Órgão Oficial dos Poderes do Estado (MINAS GERAIS) em sua edição de 6 de setembro de 1933, assim comenta sobre a personalidade de Olegário Maciel: “Figura do passado e figura do presente, trazendo do passando uma notável soma de serviços prestados no Império e na República – recomendado à estima e à admiração de seus patrícios pela pureza de sua vida, como cidadão ou como homem público, o presente Olegário Maciel era o presente, por aquelas mesmas virtudes e mais pelo idealismo são e pelo patriotismo que o animava, uma figura “leader”, naturalmente ouvida e prestigiada por todos os brasileiros”.

Nessa linha, se já era ele grande e conhecido pela atitude de seu civismo, tanto que os mineiros o elevaram a seu presidente constitucional em setembro de 1930, a Revolução de Outubro, de que ele foi um dos maiores, senão o maior general marcou-lhe um lugar alto e privilegiado na admiração e no culto do povo brasileiro. Continuou imperturbavelmente o mesmo: sereno, desabicioso, forte no seu patriotismo e, sobretudo, bom e equânime.

Cel. Arthur Tibúrcio em seu discurso na Assembleia de Minas Gerais quando foi Deputado da Constituinte Mineira em 10 de abril de 1935 fala da obrigação de Passa Quatro de prestar homenagem aquele que foi um grande General no desfecho armado da memorável campanha liberal, uma vez, que o município palpita no sentimento de gratidão pelo muito que fez por Minas e mais do que por Minas, pela Pátria.

Siga o Sulminas146 no Facebook e no Twitter

Seja o primeiro a comentar