Edição
Edição
Sulminas146

Minas

Redução de carga de energia afetou 54 cidades mineiras, diz Cemig

Segundo companhia, 280 mil clientes foram atingidos pela medida. Informações foram divulgadas pela empresa nesta terça-feira (20).

Do G1

Cinquenta e quatro cidades atendidas pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) foram afetadas, nesta segunda-feira (19), pela redução do fornecimento de energia. A medida, que foi tomada a pedido do Operador Nacional do Sistema, atingiu 280 mil clientes na área de concessão da empresa mineira. Os dados só foram divulgados pela Cemig na manhã desta terça-feira (20).

Belo Horizonte é uma das cidades que sofreram com o corte de energia. Segundo a companhia, a capital mineira foi parcialmente atingida. O Vale do Rio Doce concentra a maior parte dos municípios afetados, seguido pelo Norte de Minas, Região Metropolitana de Belo Horizonte, Região Central e Triângulo Mineiro. A Cemig é responsável por 96% da distribuição da energia do estado, onde há 853 cidades.

De acordo com a empresa, a redução da carga foi iniciada por volta das 15h. A Cemig informou que a ONS pediu para que 500 megawatts fossem cortados no estado. O processo de restabelecimento da energia começou as 15h32 e foi concluído às 16h38.

Além de Minas Gerais, a manobra foi feita em outros dez estados e no Distrito Federal. Na noite desta segunda, o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, negou que o corte de energia tenha sido consequência do pico de consumo de eletricidade no país registrado no início da tarde. Segundo ele, um problema técnico em uma linha de transmissão entre as regiões Norte e Sudeste do país foi a causa do corte.

“O pico de consumo houve. No entanto, se não tivesse havido esse problema técnico [na linha de transmissão], não teria tido [corte de energia]. Esse pico de consumo aconteceu na semana passada todos os dias e não tivemos nenhum problema”, disse Braga a jornalistas, ao deixar a sede do Ministério de Minas e Energia, em Brasília.

Veja a lista de municípios afetados, segundo a Cemig:

Aimorés (Rio Doce), Alvarenga (Rio Doce), Antônio Dias (Rio Doce), Belo Horizonte (parcial), Bonfim (Região Central), Brumadinho (Região Metropolitana), Capitão Andrade (Rio Doce), Conquista (Triângulo Mineiro), Conselheiro Pena (Rio Doce), Coronel Fabriciano (Rio Doce), Crucilândia (Região Central), Cuparaque (Rio Doce), Delta (Triângulo Mineiro), Dom Cavati (Rio Doce), Engenheiro Caldas (Rio Doce), Esmeraldas (Região Metropolitana), Espinosa (Norte de Minas), Fernandes Tourinho (Rio Doce), Galileia (Rio Doce), Goiabeira (Rio Doce), Governador Valadares (Rio Doce), Igarapé (Região Metropolitana), Ipatinga (Rio doce), Itabira (Região Central), Itacarambi (Norte de Minas), Itanhomi (Rio Doce), Itueta (Rio Doce), Jaguaraçu (Rio Doce), Jaíba (Norte de Minas), Japonvar (Norte de Minas), Jataí (Norte de Minas), Juatuba (Região Metropolitana), Juvenília (Norte de Minas), Manga (Norte de Minas), Mário Campos (Regiçao Metropolitana), Mateus Leme (Região Metropolitana), Matias Cardoso (Norte de Minas), Miravânia (Norte de Minas), Nova Porteirinha (Norte de Minas), Ouro Preto (Região Central), Pintópolis (Norte de Minas), Resplendor (Rio Doce), Ribeirão das Neves (Região Metropolitana), Santa Rita do Itueto (Rio Doce), São Francisco (Norte de Minas), São Geraldo do Baixio (Rio Doce), São João das Missões (Norte de Minas), São Joaquim de Bicas (Região Metropolitana), Sobrália (Rio Doce), Tarumirim (Rio Doce), Tumiritinga (Rio Doce), Uberaba (Triângulo), Varzelândia (Norte de Minas) e Verdelândia (Norte de Minas).

Seja o primeiro a comentar