Edição
Edição
Sulminas146

Jornal da Serra

Virgínia, no Sul de Minas, guarda origens ligadas ao ciclo do ouro

A cidade de Virgínia, no Sul de Minas, tem origem na devoção à Virgem Nossa Senhora da Conceição e entre seus picos e serras, destacam-se os do Varjão e da Fortaleza. Nas cachoeiras, a dos Padres, do Caeté, do Mingu e a Cachoeira Grande, que possui uma pedra em forma de cálice.

As origens do município estão ligadas ao ciclo do ouro, quando os desbravadores portugueses, mesmo não encontrando ouro ou pedras preciosas, fixaram-se ali. Na metade do século XIX, foi erguida uma capela dedicada à Nossa Senhora da Conceição. O povoado logo se desenvolveu ao seu redor, e recebeu o nome ‘Virgínea’, em homenagem à Virgem Imaculada.

Com o tempo, mudou para Virgínia, sendo a localidade elevada a distrito de Pouso Alto em 1865, e a município, em 1911.  A cidade se destaca pelo cultivo de frutas, com a produção de marmelo, morango, ameixa, pêssego, pera e figo.

Na agricultura, destaque para a produção de milho, feijão, batata inglesa e arroz e, na pecuária, a produção de leite. Tem como atração especial a ‘Exposição Agropecuária’, festa anual com torneio leiteiro, mostras de artesanato, desfiles de cavaleiros e shows de todo o tipo.

A partir do final do século XX, o município começou a investir no seu potencial turístico, com a implantação de um grande Hotel Fazenda. São famosas as formações rochosas com galerias revestidas de granito, cobertas de bromélias em determinadas épocas do ano, a 5 km do centro da cidade, na Estrada Virgínia/Mogiano, entre as cachoeiras, Caeté (Sete Quedas, na Estrada Virgínia/ Marmelópolis), do Mingu (com acesso pela Estrada Virgínia/Itajubá/Morangal) e Grande, formada pelas águas cristalinas do Rio Lourenço Velho.

Visite a região através do site: www.terrasaltasdamantiqueira.org.br

Detalhes sobre Virgínia: http://bit.ly/1laSTO8

Virgínia se destaca pelo turismo (foto: Jornal da Serra)

Virgínia se destaca pelo turismo (foto: Jornal da Serra)

Seja o primeiro a comentar